IIAM PARTICIPA NO PRIMEIRO FESTIVAL DO CAFÉ

A produção do Café em Moçambique, é centenária, enraíza-se na tapeçaria histórica, cultural e diversidade natural. Das altas terras místicas de Chimanimani até as florestas verdes e tropicais de Gorongosa e a indílica ilha do Ibono arquipelago das Quirimgas, onde o clima, o solo e sua geografia são adequados para cultivar-se várias variedades de café. Em Lisboa, o café do Ibo recebeu um diplona de Medalha de Ouro, em 1906, devido ao seu aroma, características e sabor.

Nos presentes dias, existe um despertar de interesse e investimento na produção de culturas de Café, sendo resultado do reconhecimento das oportunidades nesta Indústria, também beneficiando tanto ao ambiente quanto as comunidades. Assim sendo, o Goveno de Moçambique atravês do Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural (MADER), viu esta oportunidade de realizar este evento, que é o Festival do Café Maputo, sob lema “Do Grão à Chavena”, para permitir que exista um intercâmbio, interacção e troca de experiência entre os produtores e consumidores de café.

O evento teve lugar numa das estâncias hoteleiras da bela cidade das acácias, tendo contado com a participação de Sua Excia. o Ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Celso Correia e outras figuras internacionais ligadas a cadeia do valor do café, como a Directora Executiva da Organização Internacional do Café (OIC), organismo este que Moçambique faz parte desde Junho de 2023, Executivos de orgãos internacionais, diplomáticos, representantes de empresas produtoras de café e associassões.

Coube a Directora Executiva da OIC, de fazer a contextualização do cenário internacional do café, em seguida, Sua Excia Ministro do MADER, fez a abertura oficial do Festival. Dentre varias apresentações, coube ao Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM), fazer a apresentação, tendo como Orador o Engenheiro Edmar Uamusse, com o tema “Contribuições da Investigação no sector de Café” Para além das apresentações, participaram alguns expositores que trouxeram suas marcada de cafá para dar-se a conhece. Na esposição, houve também espaço para demostração dos cafés, degustação dos mesmo, das várias marcas existentes, métodos de processamento, equipamento tudo com vista a proporcionar aos entusiastas do café experiencias diferentes e únicas.

Uma das abordagens trazidas para o evento foi a de se criar uma identidade própria do Café Moçambicano, argumento este, apresentado por Tiago Fonsega, um dos representantes emblemáticos da Agência de publicidade Golo (Think Local), também, falou-se do papel do governo, de criar um ambiente favorável a todos os níveis operacionais dos vários segmentos, da cadeia de valor do café, desde o plantio ao precessamento, empacotamente e comercialização, sem deixar de lado e como fundamental, o plano estratégico bem definido para que se consiga efetivar acções que julgue-se pertinente com esta cultura, visto que o país está abraçando esta oportunidade e desafio, concorrendo com organizações internacionas bem estruturadas e que já operam nesta área e com esta cultura, com larga experiência.

Através de esforços conjuntos do Governo, parceiros de cooperação, sector privado e dos produtores rurais, seguindo uma estratégia assertiva, o país pretende criar uma estrutura, contruir um futuro próspero e saudável para a indústria do café no país.

Da Pesquisa do IIAM:LANÇADO LIVRO SOBRE “AS ÁREAS IMPORTANTES DE PLANTAS DE MOÇAMBIQUE”

O Vice-Ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Olegário Banze, lançou na manhã desta segunda-feira,10, uma importante obra científica do ramo da biodiversidade florestal, produzida pelo Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM) em parceria com a Royal Botanic Gardens – KEW do Reino Unido. Trata-se de um livro de 430 páginas, sob o título “As Áreas Importantes de Plantas de Moçambique”, da autoria de 11 pesquisadores nacionais e estrangeiros, sendo 6 nacionais, entre os quais 5 do IIAM: Hermenegildo Matimele, Cleyton Langa, Castigo Datizua, Teresa Alves e Camila de Sousa; e 1 da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), Alice Massingue.

Falando no início da cerimónia, a Directora Geral do IIAM, Prof. Doutora Zélia Menete enalteceu a realização do evento, pois espelha as actividades inerentes à investigação, recolha, compilação e análise de informação agrária para o desenvolvimento socioeconómico do país. “O livro em lançamento nesta cerimónia é produto de um trabalho desenvolvido ao longo de vários anos, e que é a junção de diferentes programas e projectos levados a cabo pela instituição”, enfatizou Zélia Menete.

Por seu turno, o Dr. Hermenegildo Mitimele, um dos co-autores moçambicanos, apresentou uma resenha sobre o “Programa Geral de Áreas Importantes de Plantas nos Trópicos” bem como as especificidades atinentes a Moçambique no que se refere à identificação das referidas áreas, resultados, recomendações e próximos passos à luz de toda a pesquisa por detrás do livro. A Eng. Camila de Sousa expôs os portais de acesso ao livro e de toda a informação produzida no âmbito da pesquisa. De acordo com Camila de Sousa os websites do IIAM, FNDS, SIBMOZ e BIOFUND já albergam ou albergarão a obra e os seus sub-produtos. Para além desses portais o livro estará disponível nas bibliotecas de instituições de ensino e investigação como é o caso da Universidade Eduardo Mondlane (UEM) e do próprio IIAM.

Entre os oradores principais da cerimónia de lançamento da obra tomou a palavra o Prof. Doutor Narciso Matos, na qualidade de Presidente do Conselho de Administração da BIOFUND, uma instituição parceira do IIAM em matéria de conservação e preservação da biodiversidade. Na sua intervenção, Narciso Matos sublinhou terem sido identificadas 57 áreas de conservação de plantas das quais 18 estão dentro das áreas de conservação. Para o PCA da BIOFUND, sendo missão desta instituição “angariar fundos e financiar acções de gestão e de conservação da biodiversidade envolvendo as comunidades locais e outros intervenientes do sector público e privado”, a BIOFUND pauta-se por apoiar parcerias com as instituições capazes de trabalhar na conservação da biodiversidade para as gerações futuras.

Ao apresentar o livro, lançando-o formalmente ao consumo público, o Vice-Ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Olegário Banze, louvou a iniciativa do IIAM de colaborar com outras instituições nacionais e internacionais para a concretização de tão importante resultado da investigação, ora palpável em obra científica que a todos orgulha. Olegário Banze, que fazia o seu pronunciamento em representação do Ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, usou da ocasião para partilhar com os presentes que as partes signatárias da Convenção da Biodiversidade concordaram em aumentar em 30% as áreas importantes para a biodiversidade, através de um quadro legal próprio. O dirigente ministerial sublinhou que o Governo, ao ratificar a Convenção, comprometeu-se internacionalmente em proteger a biodiversidade e promover a sua gestão sustentável, implementando iniciativas para alcançar as metas de estratégia nacional de conservação da biodiversidade em Moçambique. Repisando expressões de enaltecimento ao IIAM e particularmente aos seus investigadores envolvidos na produção do livro, o Vice-Ministro exortou-os a fazerem uma análise da composição química das plantas de tal sorte que se possa explorar o seu mais amplo contributo para o desenvolvimento do país. (Rousseau Bila, Gabriel Matsinhe e Roseiro Moreira, com fotos de Marcos Niuaia/IIAM).

Mais 4

Resiliência a Pequenos Agricultores:

IIAM ASSINA ACORDO DE PARCERIA COM FTF RESINA

Teve lugar na Estação Agrária de Ribaue – IIAM no dia 4 de Junho do corrente ano o workshop para o lançamento oficial do projecto “Apoiar a Resiliência dos Pequenos Agricultores” através de melhor acesso e adoção de tecnologias sensíveis ao clima e à nutrição para aumentar o rendimento, melhorar a nutrição e a segurança alimentar nas províncias de Nampula e Zambézia. Esta parceria visa a apoiar a resiliência dos pequenos agricultores através de melhor acesso e adopção de tecnologias adaptáveis ao clima e sensíveis à nutrição para aumentar o rendimento, melhorar a nutrição e a segurança alimentar nas províncias de Nampula e Zambézia.

A assinatura da parceria entre as duas instituições foi realizada pelos respectivos Directores nomeadamente Dra. Zélia Menete, Directora Geral do IIAM e o Dr. Nephas Munyeche, Director do FTF RESINA. O evento contou com a presença do Director do escritório da Resiliência e Crescimento Económico da USAID, Dr. Michael Nicholsin, representantes do Governo Provincial e Distrital e parceiros das duas partes no acordo, entre os quais: os Directores Provinciais de Agricultura e Pescas e dos Serviços Provinciais de Actividades Económicas de Nampula, o Administrador do Distrito de Ribaue, um representante do SDAE Ribaue, Líderes Comunitários daquele distrito, bem como actores de Sector Privado, entre agrodealers e agricultores. Estes intervenientes mostraram todo o seu cometimento em abraçar a iniciativa de parceria, ora chancelada pelo IIAM e a FTF RESINA, no workshop que culmina com o arranque das actividades do Projecto de Apoio à Resiliência aos Pequenos Agricultores através de Tecnologias de aumento de Rendimento, melhoria nutricional e de Segurança Alimentar na Zambézia e Nampula. (Suzie Aline, em Ribaue com Edição de Roseiro Moreira em Maputo).

Direitos Reservados ao IIAM 2021