**Intervenção Agrária em Cabo Delgado: CONSULTORES DA EMBAIXADA DA FRANÇA ACONSELHAM-SE JUNTO DO IIAM*         

Um grupo de consultores vindos da Embaixada da França em Moçambique reuniu-se a 19 de Fevereiro de 2024 com Directora Geral do IIAMO, no quadro de um processo de auscultação a várias instituições com o objectivo de colher contribuições do sector agrário sobre como intervir na agricultura em Cabo Delgado. por As contribuições serão parte de uma agenda francesa de actuação multiforme em Cabo Delgado, por forma a melhorar as condições de vida das populações vivendo nas comunidades locais daquela província nortenha do país assolada pelo terrorismo que acaba tendo um impacto transversal negativo para o desenvolvimento da agricultura e a produção de alimentos.

A Directora Geral, apoiada pela sua equipa, deu um briefing sobre o mandato do IIAM como uma instituição de investigação agrária pública, as suas principais áreas de intervenção assim como os principais beneficiários dos produtos da investigação agrária em curso no IIAM. Ademais, enfatizou a disponibilidade do IIAM em apoiar e colaborar naquilo que a instituição puder fazer para contribuir para a melhoria da diversidade agrária na província de Cabo Delgado rumo à melhoria das condições de vida das populações naquela província. (Suzie Aline e Roseiro Moreira/IIAM)

A PARTIR DE MARRACUENE E BOANE: AVALIAÇÃO AO CZS ENCERRA CHAMANDO AO MAIOR  CUMPRIMENTO DAS RECOMENDAÇÕES E À ARRECADAÇÃO DE RECEITAS PRÓPRIAS

Ao fechar as primeiras visitas de avaliação periódica do desempenho do IIAM, à luz das recomendações deixadas nas visitas anteriores às Direcções Técnicas e aos Centros Zonais, ora iniciadas no Centro Zonal Sul (CZS), a Directora Geral do IIAM trabalhou na quinta-feira (22) no Centro de Investigação Florestal (CIF), em Marracuene, e na Estação Agrária de Umbeluzi (EAU), em Boane.

Na primeira unidade experimental, CIF, a Professora Doutora Zélia Menete visitou para além de instalações e viveiros na Vila Sede de Marracuene, as Parcelas Permanentes de Investigação Florestal em Michafutene, e a Reserva Botânica de Bobole (RBB). A oportunidade serviu igualmente para passar em revista e compreender as nuances de conflitos de terra envolvendo a instituição, populações locais, e as autoridades administrativas do distrito, cuja vila sede passou recentemente ao estatuto de Autarquia.

Na Reserva Botânica de Bobole (RBB) foi abordada a preservação da planta arbustiva Raphia Autraliana , uma espécie em vias de instinção, cuja reprodução é tida como sendo bastante lenta e difícil, afigurando-se que só se adapta a dois locais (Bobole e Calanga). Neste quisito de aparente adaptação limitada a esses dois locais, a Directora Geral do IIAM recomenda buscar as razões do pormenor para eventuais acções alternativas, fazendo-se um estudo profundo dos solos e do micro ambiente envolvente. Outra das recomendações deixadas, no que à Reserva Botânica de Bobole é atinente, refere que “os produtores do viveiro comunitário devem ser incentivados a produzir plantas ornamentais e florestais para a sua própria renda”. Por outro lado, o Centro de Investigação Florestal (CIF) é chamado a “trazer soluções de resposta às mudanças climáticas para a protecção de mangais e de outras espécies florestais importantes”. Na tónica de geração de receitas sobressaem recomendações de aposta em cursos de curta duração sobre Sistemas de Informação Geográfica (GIS), comercialização de sementes florestais e outros serviços bem assim a realização de estudos sócio-económicos sobre a Raphia e mangais para que a comunidade saiba a importância dessas plantas no seu próprio meio ambiente e no ecossistema em geral.

 … COMO TODAS AS UNIDADES EXPERIMENTAIS DO IIAM UMBELUZI PODE GERAR RECEITAS PRÓPRIAS…

Na segunda unidade experimental visitada no último dia da digressão avaliativa em Boane, Umbeluzi, mais concretamente na Estação Agrária do mesmo nome, Zélia Menete inteirou-se das medidas implementadas ante o incêndio de 7 de Fevereiro e as necessidades para a reabilitação da infra-estrutura afectada pelo sinistro, bem como percorreu os campos de pesquisa de arroz e deixou novas recomendações. O incêndio atingiu um escritório, uma sala de processamento e a biblioteca, tendo ficado gravemente destruídos. Entretanto, a Directora Geral foi informada que já se

está a fazer algum esforço para a sua reabilitação.

No concernente aos campos de arroz, foi revelado que a multiplicação de semente básica da variedade Macassane, num campo de 4 hectares, atingiu o rendimento máximo de 8 toneladas por hectar, e “a semente toda já tem compradores”, como destacam os pesquisadores, o que demonstra que é possível gerar receitas com a investigação em Umbeluzi e noutras unidades experimentais do IIAM. Em face desta e de mais constatações indiciadoras de sustentabilidade da pesquisa desenvolvida, recomendações da Directora Geral do IIAM voltaram ao de cima, entre as quais:

melhorar a prestação de serviços através da disseminação e venda destes, como a realização de cursos de formação, o desenho de projetos e a assessoria técnica aos produtores familiares e empresariais com pacotes tecnológicos adequados. Ademais, a Directora Geral deixou claro, em todas as unidades visitadas que as recomendações presentes e precedentes devem todas ser transformadas em acções de seguimento imediato e de cumprimento mandatório integral, para que nas próximas avaliações não se tenha que recorrer a muitas explicações de incumprimento,  não raras vezes pouco convincentes. (Roseiro Moreira e Anica Massas/IIAM).

XAI-XAI, CHOBELA E MAZIMUCHOPES CHAMADAS AO IMPULSO DA INVESTIGAÇÃO EM CIÊNCIAS ANIMAIS!

Unidades Experimentais do lIAM para o ramo de ciências animais, situadas nos distritos de Xai-Xai e Magude, províncias de Gaza e Maputo respectivamente, são chamadas a redobrar os seus esforços para o impulso da investigação agrária, no seu ramo específico, na região que compreende o Centro Zonal Sul (Maputo, Gaza e Inhambane). Trata-se do Laboratório Regional de Veterinária de Gaza (LRVG), em Xai-Xai, e das Estações Zootécnicas de Chobela (EZC) e de Mazimuchopes (EZM), em Magude. Esta última unidade experimental encontrava-se com actividades suspensas há quase 10 anos, devido à estiagem que em 2015 não terá deixado outra opção aos gestores senão a transferência do gado bovino para a vizinha Estação Zootécnica de Chobela (EZC).

Para o relançamento desse desiderato, a Directora Geral do IIAM, que realizou uma visita de avaliação ao Centro Zonal Sul, de 20 a 22 de Fevereiro, escalou aquelas três unidades experimentais, tendo sublinhado a sua importância, porquanto desempenham um papel fundamental na promoção da saúde animal, na prevenção de doenças e na garantia da segurança alimentar, conforme indicam as nossas fontes no compasso da visita. O Laboratório Regional de Veterinária de Gaza, por exemplo, realiza análises microbiológicas e diagnósticos de doenças como brucelose, tuberculose e raiva. Já a Estação Zootécnica de Mazimuchopes (EZM) volta ao funcionamento tendo ao Chefe daquela unidade, o Dr. Avelino Nhate, sido desafiada e confiada a revitalização da mesma com muito mais brio e dedicação que devotou à Estação Zootécnica de Chobela (EZC), enquanto esteve à frente daquela, e cujo novo Chefe passa a ser o Dr. Milton Murrombe, ora empossado para prosseguir a missão de fazer ali valer a pesquisa em ciências animais. Relativamente ao desafio da retoma da Estação Zootécnica de Mazimuchopes, o Chefe que para lá retorna, deverá com outros funcionários da unidade, identificar os edifícios prioritários para a reabilitação e as necessidades para o reinício das actividades, incluindo a assistência às comunidades locais. (Roseiro Moreira e Anica Massas/IIAM).

MANIQUENIQUE CUMPRE RECOMENDAÇÕES E VIRA CENTRO DE ATENÇÕES!

Na sua alocução, a DG do IIAM sensibilizou aos funcionários com particular realce para os investigadores sobre a necessidade de envidar mais esforços na busca de financiamento através de projectos de pesquisa e outras parcerias, para além do uso racional dos recursos advientes dos projetos por forma a colmatar o défice orçamental do Estado.

Para Maniquinique, as actividades iniciaram com uma audiência de cortesia ao Secretário Permanente do Distrito de Chibuto, Ernesto Macamo, acto administrativo que antecedeu a cerimónia de sucessão de liderança no Centro de Formação Agrária de No âmbito da sua visita ao Centro Zonal Sul (CZS), que decorre de 20 a 22 de Fevereiro, enquadrada na monitoria das recomendações por si deixadas em Outubro de 2023, a Directora Geral do IIAM, Prof. Dra. Zélia Menete escalou esta terça-feira (20), a Estação Agrária de Chókwè (EAC) e o Centro de Formação Agrária de Maniquenique (CFAM), tendo neste último ponto ficado positivamente surpreendida pelas melhorias no que tange a algumas das novas instalações que podem alavancar a visibilidade institucional do IIAM a partir daquele perímetro da província de Gaza.

Na Estação Agrária de Chókwè, onde por sinal se localiza a Sede do Centro Zonal Sul, mereceram o barómetro filtrante da Dirctora Geral do IIAM, os campos de produção de semente pré-básica e básica de arroz e mandioca e os ensaios de feijão vulgar. Foi ali enfatizada a necessidade de produzir semente sob contrato com os interessados, como forma de evitar disperdício de recursos. Na mesma circunstância foi solicitada a efectivação de monitoria das tecnologias difundidas pelo IIAM a partir do CZS.

Maniquenique (CFAM). No seu discurso, a Prof. Dra. Zélia Menete enalteceu o papel desempenhado pelo Chefe de Estação  Domingos Safo, que alcançou a bênção da reforma e deixa a pasta para José Muderafa Magia, a quem cabe dar prossecução às actividades do Centro, contribuindo para o desenvolvimento da investigação e produção agrária com tacto inovador. Na ocasião Magia, expressou a sua gratidão pela confiança depositada em si e postulou o seu firme compromisso em liderar o CFAM com integridade e dedicação.

Após o acto de sucessão na liderança do CFAM, a DG do IIAM visitou os dormitórios do Centro, tendo parabolizado ao Chefe que passa à reforma pelo nível de apetrechamento dos mesmos, em claro cumprimento das recomendações deixadas em Outubro de 2023. Quer em Chókwè como em Maniquenique, a DG do IIAM exortou a todos os técnicos sobre a necessidade de um bom uso das infra-estruturas e a contínua implementação das recomendações deixadas desde a visita de Outubro de 2023. (Roseiro  Moreira, em Maputo, com notas de Alfredo Maholele, Bento Filipe e Anica Massas no terreno/IIAM)

Para Início de Março: Prepara-se Seminário Nacional Sobre Sementes

O IIAM e a DNSAB já se desdobram em fase avançada de coordenação e preparação do Seminário Nacional sobre sementes projectado para 6 a 9 de Março próximo na província de Manica. A reunião irá juntar diferentes intervenientes do sistema de sementes em Moçambique dentre os quais o sector privado, produtores de semente certificada, organizações que operam no sector de sementes, e Associações de produtores de sementes.

O evento tem por objectivo refletir sobre o papel de cada interveniente da cadeia de valor de semente em Moçambique e definir linhas estratégicas a seguir para um sistema de fornecimento de sementes funcional e sustentável com vista a responder aos desafios do país no que diz respeito à disponibilidade de semente em qualidade e em quantidade. São esperados cerca de 150 a 200 participantes entre presenciais e virtuais de todo o país. (Suzie Aline/IIAM).

QUATRO MESES DEPOIS: AVALIA-SE CUMPRIMENTO DAS RECOMENDAÇÕES AO CZS

Em finais de Outubro de 2023, a Directora Geral do IIAM, Prof. Dra. Zélia Menete, efectuou a sua primeira visita de trabalho ao Centro Zonal Sul (CZS) e deixou recomendações para a melhoria do desempenho das Unidades Experimentais que o constituem. Transcorridos quatro meses, a líder da investigação agrária pública nacional volta ao terreno para medir presencialmente o pulsar do cumprimento das suas recomendações.

Com efeito, Zélia Menete inicia esta terça-feira, 20 de Fevereiro, uma estratégica visita de monitoria ao CZS, no âmbito da avaliação periódica da implementação das actividades em 5 Unidades Experimentais. Ida de Maputo com a Dra. Anica Massas, investigadora do Programa de Leguminosas de Grão, a sua porta de entrada será Chókwè, escalando sucessivamente Maniquenique, Xai-Xai, Chobela, Mazimuchopes, Marracuene e Umbeluzi num perído de 3 dias, até quinta-feira da semana corrente.

A Produção Editorial das Plataformas Digitais do IIAM, que apurou estas informações, manter-se-á atenta para trazer a estas páginas as incidências da visita que se projecta bastante envolvente, produtiva e restauradora de energias e sinergias para um cada vez melhor seguimento de acções orientadas para os resultados, como tem sido a tónica das mensagens da Prof. Dra. Zélia Menete, Directora Geral do IIAM. (Roseiro Mário Moreira/IIAM-DDIC)

DA AGÊNCIA ATÓMICA: OFICIAL EM CONTROLE E SEGURANÇA DE ALIMENTOS DE VISITA AO IIAM

Decorreu na manhã de hoje, 19 de Fevereiro de 2024, no gabinete da Directora Geral do IIAM, Professora Doutora Zélia Menete, um encontro com o Technical Officer da Energia Atómica, que se encontra em visita à instituição. O encontro contou com a presença da Doutora Otília Tomo (Directora Técnica da DCA), o Dr. António Sumbana (Ponto Focal do Projecto 5012) e Dra. Carla Menezes (Ponto Focal dos Projectos de Energia Atómica na área de Agricultura). Durante o encontro foram abordadas informações sobre apoio à DCA-IIAM em equipamentos, materiais, reagentes e a formação e monitoria dos técnicos, bem como na sustentabilidade dos laboratórios. Na próxima sexta-feira, será realizado um novo encontro para o balanço da visita e acções de seguimento

Detecção precoce da Gripe Aviária apoia-se no Laboratório Central de Veterinária do IIAM

Moçambique já não depende exclusivamente de Laboratórios estrangeiros, como o da República da África do Sul, para o processamento de amostras conducentes à detecção da presença da Gripe Aviária, também conhecida por Influenza Aviária, uma doença que afecta as aves com destaque para o frango e que pode passar para os seres humanos assumindo contornos de letalidade nestes. Com efeito, o Laboratório Central de Veterinária na Direcção de Ciências Animais (DCA) do Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM) tem já sido uma referência de sucesso para a tomada de decisão da Direcção Nacional de Desenvolvimento Pecuário (DNDP) no tocante à declaração ou não de surtos de Gripe Aviária no país.

Falando nesta segunda-feira (12) perante quase uma centena e meia de participantes presenciais e virtuais a uma Palestra sobre Influenza Aviária, organizada pela DCA-IIAM tendo como palco físico o Anfiteatro da Faculdade de Veterinária (FAVET) da Universidade Eduardo Mondlane (UEM) o Director Nacional de Desenvolvimento Pecuário, Dr. Américo da Conceição, repisou que o primeiro caso de Gripe Aviária em Moçambique registou-se em Outubro de 2023, tendo o caso sido confirmado laboratorialmente dentro do país, mais concretamente pelo Laboratório Central de Veterinária do IIAM. Ademais, revelou ainda o Director Nacional de Desenvolvimento Pecuário, um outro Laboratório Veterinário da Itália viria depois a reconfirmar as conclusões do Laboratório Central de Veterinária de Moçambique.

A tão concorrida palestra, porquanto centrada num tema sempre actual e de grande interesse abordou, entre outras temáticas, a visão sobre a Influenza Aviária e estirpes virais, transmissão e factores de risco, implicações na saúde humana e métodos de controle, diagnóstico laboratorial, importância da detecção precoce, procedimentos de resposta em caso de suspeita ou confirmação, mapeamento de zonas de risco, e aves migratórias ou selvagens como vectores do vírus para aves domésticas. Sob a moderação da Directora de Ciências Animais, Prof. Dra. Otília Tamele Tomo, foram oradores e painelistas: a Investigadora Auxiliar e Chefe do Laboratório Central de Veterinária na DCA-IIAM, Dra. Iolanda Monjane; o Dr. Zacarias Massicame pela DNDP do MADER; a Pesquisadora do Instituto Nacional de Saúde (INS) e Chefe do Departamento de Prevenção, Controlo e Erradicação de doenças, Dra. Neusa Nguenha; e o Zoologo do Museu de História Natural, Dr. Carlos Bentos.

Enquanto o Director Nacional de Desenvolvimento Pecuário, que contextualizou a palestra, elucidou que a Influenza existe no mundo há mais de 100 anos, de acordo com os oradores, o primeiro caso de Gripe Aviária na região da SADC foi registado em 2017, enquanto os surtos mais recentes foram notificados na República da África do Sul (RSA) em Maio de 2023, tendo resultado na morte ou no abate de dezenas de milhares de aves de capoeira. Após a ocorrência e cumulativamente aos surtos anteriores no vizinho país a sul (RSA), “o Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural (MADER) suspendeu a importação de aves domésticas e selvagens vivas e produtos avícolas da RSA em Outubro de 2023, e reforçou adicionalmente as medidas de prevenção e vigilância em todo o território nacional”, esclarecem os documentos apresentados na palestra, revelando não ter sido uma experiência fácil lidar com a situação real em território nacional.

A palestra serviu como uma escola sobre a Gripe Aviária, pois “aprendemos muito e já podemos esclarecer aos nossos governos provinciais sobre esta matéria”, tal como se pronunciou a Directora Provincial de Agricultura de Maputo, uma das participantes presenciais, que acrescentou em forma de busca de apoio para maior divulgação das importantes mensagens que colheu do evento: “Não estamos a divulgar o assunto. Gostaríamos de ter um apoio para a actualização da informação” e também se revela uma cada vez maior “necessidade de envolvimento das províncias” nesta luta conjunta pelo controlo da Gripe Aviária que “veio para ficar e temos que encontrar formas de conviver com o problema” como várias vezes repetiu convincente o Director Nacional de Desenvolvimento Pecuário, AméricodaConceição.

Para a Directora Geral do IIAM, Prof. Doutora Zélia Menete, adiantando algumas acções de seguimento à palestra, é preciso que todos as partes interessadas e envolvidas na questão da Gripe Aviária estejam alinhadas, pois “sem colaborarmos do ponto de vista multidisciplinar nunca seguiremos em frente” e “não podemos continuar a ser apanhados despreparados”, rematou! Por outro lado vincou que urge capacitar e profissionalizar os recursos humanos para melhores operações laboratoriais bem como para reforçar a capacidade dos outros laboratórios regionais de tal sorte que se possa testar a Influenza Aviária em todas as províncias. Zélia Menete exorta a todos os cientistas e pesquisadores de larga experiência do IIAM, do INS, do Museu de História Natural, das Universidades e de outras instituições a traçarem estratégias para “interessar jovens a integrarem as equipas, para começarem a gostar de ciência quanto cedo”. Sendo os jovens a maioria percentual de moçambicanos “temos que usar esse dividendo demográfico”, trazendo ao público os contornos de “onde reside o sucesso para que os jovens se interessem pela avicultura, por exemplo”, asseverou indicando que todas as recomendações do evento constarão de uma matriz de acções de seguimento a ser partilhada com todos os participantes. (Roseiro Moreira com fotos de Juvêncio dos Santos e Gabriel Matsinhe/IIAM-DDIC)

Em Homenagem à Sónia Maciel: Rememorados os Feitos da Pesquisadora, Cientista e Inovadora Educacional

Promovida pela Direcção Geral do Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM), antecedendo uma importante palestra sobre a Gripe Aviária, a homenagem contou com a presença da família da enaltecida e do Antigo Reitor da Universidade Lúrio, o Prof. Dr. Francisco Noa, uma das pessoas que teve o raro privilégio de fazer parte do percurso da malograda Prof. Dra. Sónia Maciel, desde a sua época de estudantes do ensino secundário geral em 1979. Descrevendo-a como o culminar da “grandeza humana e profissional”, o Prof. Dr. Noa, num discurso expontâneo saído da alma de uma mente que perdeu uma ente pesquisadora, cientista e inovadora educacional, emocionou a plenária de cultores do saber quanto foi a malograda cientista outrora investigadora do Instituto de Investigação Agrária de Moçambique, abrindo sonhos de futuros académicos de trilhares pelos exemplos de zelo, brio e dedicação que caracterizaram a também humilde porém visionária personalidade da Prof. Dra. Sónia Maciel.

Reconhecendo publicamente o contributo da malograda cientista para o desenvolvimento da agricultura desde a sua juventude, conforme atesta o seu percurso académico e profissional, a Directora Geral do Instituto de Investigação Agrária de Moçambique, Prof. Dra. Zélia Menete, resumiu assim o sentimento institucional naquela singela sessão de elogio póstumo: “como IIAM, não ficaríamos indiferentes e não fazermos nada. Preparamos estes minutos que antecedem a nossa primeira palestra do ano, para enaltecermos a vida e obra de uma colega, uma companheira, uma destacada lutadora pelo desenvolvimento do país, de ciência em punho e vontade de partilha de conhecimentos sem igual”. Afinal, a Prof. Dra. Sónia Maciel era um acervo de conhecimento de que várias instituições se podiam socorrer para o seu prestígio e crescimento. Atesta-nos a Directora Geral do IIAM ao passar o elogio póstumo ao antigo Reitor da UniLúrio: “Mas como ela trabalhou também noutros lugares, buscamos individualidades que com ela trilharam pelas difíceis porém reconfortantes avenidas da aplicação e transmissão do saber. Por isso temos aqui o Prof. Dr. Francisco Noa que nos vai ajudar a saber mais e compreender melhor esta emblemática figura do conhecimento científico moçambino”.

A família da homenageada agradeceu o gesto do IIAM, através de uma intervenção da irmã da malograda, carregada de emoção e força de superação pela perda irreparável de uma figura que transcendeu o círculo familiar, passando a ser uma Professora Doutora Sónia Maciel de todos os Moçambicanos, vencendo as trevas através da pesquisa, ciência e inovação que tão bem soube ela transmitir ao longo da sua vida. (Roseiro Moreira, com fotos de Juvêncio dos Santos e Gabriel Matsinhe/IIAM-DDIC)

Investigadores do Programa de Arroz interagem com a DG IIAM

Provenientes do Centro Zonal Sul, pesquisadores do Programa de Arroz reuniram-se com a Directora Geral do IIAM na tarde de 6 de Fevereiro corrente para dar a conhecer os programas em curso no CZSul na cultura do arroz. Os investigadores do arroz fizeram menção às várias áreas de intervenção nesta cultura cerealífera, no âmbito do Programa de Produtividade Agrária da África Austral (APPSA), incluindo os programas de colaboração regional com os países que também têm estado a implementar o APPSA. E é neste intercâmbio de troca de experiências a nível regional que o CZSul irá receber o Instituto de Investigação Agronómica de Angola (IIAA) para uma visita de troca de experiência no corrente mês de Fevereiro.

Os técnicos tiveram a oportunidade de dar a conhecer o programa de introdução do cultivo da Cevada e disseminação em larga escala para os pequenos e médios produtores nos distritos de Boane, Namaacha e Chókwè. De salientar que a cultura da Cevada está tendo uma grande demanda pela indústria cervejeira em Moçambique. A título de exemplo, a gigante cervejeira Heiniken tem estado a colaborar com o CZSul em ensaios de adaptação da cultura de Cevada.

Por forma a garantir a sustentabilidade do Programa do Arroz, a Directora Geral ressaltou a necessidade de se ter um Programa Nacional do Arroz unificado e forte, com actividades concretas e envolvendo todos os intervenientes da Cadeia de Valor do Arroz por forma a garantir uma produção e produtividade eficiente e sustentável. (Suzie Aline/IIAM)